Veganismo

Novas Dicas para Iniciantes no Veganismo

O ano novo chegou e você está pensando em se tornar vegano, ou acabou de tomar esse caminho? Em primeiro lugar quero lhe parabenizar e dizer que você tomou a decisão correta. E você não está só, assim como você milhares de pessoas estão nesse momento dando esse passo para uma vida mais leve, natural e justa. Basta olhar a sua volta, é difícil ignorar o crescente movimento em direção a um estilo de vida vegano ou uma alimentação 100% à base de plantas. Vários cafés, lanchonetes e restaurantes veganos ou com opções vegetarianas em seus cardápios estão crescendo e prosperando continuamente – até mesmo nos supermercados encontramos cada vez mais novas alternativas para carne e laticínios – isso sem contar a infinidade de sites e blogs compartilhando dicas e receitas deliciosas.

Mas o que te motivou ou tem motivado essas pessoas a partirem para essa mudança? Alguns se voltam para o veganismo em função da crueldade animal inerente à indústria de carne e laticínios, outros têm a saúde ou meio ambiente como seu foco. Porém, independente da razão que os levaram a essa escolha, o que todos tem em comum? O compromisso com a ética e o reconhecimento dos direitos dos animais a vida e a liberdade.

Mais da metade da água potável do planeta é destinada a pecuária.

Muitos outros fatores tem contribuído para esse despertar, dentre eles o inegável impacto assustador da mudança climática, com previsões alarmantes para o futuro, onde a pecuária é tida como a causa principal – mais de 80% do desmatamento na Amazônia é associado as pastagens e o consumo de mais da metade da água potável do mundo. Não é surpresa que as pessoas estejam fazendo a transição para um estilo de vida mais natural, justo e com menos impacto na natureza – e o caminho para isso passa invariavelmente pela mudança de hábitos alimentares.

Bom, talvez você seja mais um desses “novos veganos” e esteja ainda um pouco perdido com tanta informação nova – e como sei por experiência que as pessoas gostam de dicas preparei aqui algumas que aprendi na prática durante 3 curtos anos de veganismo. São alguns toques que gostaria de ter recebido antes de começar e acredito poderá facilitar um pouco para aqueles que ainda estão em transição para esse novo estilo de vida. Elas não estão em ordem particular, algumas são práticas, outros são filosóficas, mas acho que todas são úteis. Vamos lá?


1 – Se realmente é isso que quer, seja discreto

Então você finalmente chegou a conclusão de que ser vegano é um caminho ético e resolveu seguir por essa via… ótimo! Mas mantenha a discrição, ao menos inicialmente. Se tem algo que pode te ajudar nesse percurso é evitar dúvidas ou chacota dos outros. Não anuncie o que você está fazendo, foque em si mesmo – atente-se para o seu corpo, suas impressões e os novos hábitos alimentares. Fique firme e forte em sua capacidade de controlar a própria vida – acima de tudo lembre-se das razões que o levaram a esse novo estilo de vida.


2 – Comece, envolva-se, com a mente aberta

Comece com uma mente aberta. Evite iniciar com uma atitude negativa do tipo “jamais conseguirei ser vegano!” – apesar de ser algo já dito por quase todo vegano, não existe nada pior que dar start a uma jornada se auto-sabotando. Cabe a você decidir se deseja mudar a própria dieta repentinamente ou eliminar gradativamente os produtos animais, contudo a melhor maneira de fazer a mudança, sim, é mergulhar de cabeça. Se a ideia é um pouco assustadora comece com um desafio de 30 dias.

A dica é se envolver, buscar informações, artigos (como esse que está lendo agora), conversar com outros veganos… pois de outra forma, você irá se manter preso aos velhos hábitos de consumo. Há uma cozinha vasta e satisfatória esperando pelas pessoas que fazem este salto, e o desafio é ao menos determinar-se a seguir uma dieta vegetariana estrita por 30 dias.

Começando assim você estará mais propenso a experimentar produtos e receitas com ingredientes de origem vegetal, bem como sentir os efeitos de uma alimentação que não contenha nada de origem animal. É possível sempre voltar ao passado se desejar, mas é interessante uma tentativa honesta por um mês. A maioria das pessoas não retorna, porque se sente muito bem depois.


3 – Informe-se bastante

Veja filmes como “A Carne é Fraca” e “Terráqueos” e leia livros como, “Vegano? Por que não?”, etc. Quanto mais você souber a respeito, mais motivação terá. Outra dica valiosa para se obter a informação é o GOOGLE – pois provavelmente todas suas dúvidas já foram respondidas na internet. “Preciso de recomendações de restaurantes veganos para uma próxima viagem”, “Como veganizar as receitas de cookies da vó?”, “Como saber se um ingrediente é derivado de animais?”, “Tenho que suplementar alguma vitamina?”. Você ficará surpreso com a quantidade de informações que outros veganos já contribuíram na internet.


4 – Cuidados com a saúde

Toda mudança alimentar requer atenção e cuidados especiais. Faça exames periodicamente, ou quando sentir algum desconforto. Se notar algo fora do habitual – taxa glicêmica, ferritina, B12… procure um nutricionista ou médico nutrólogo. Sobre a necessidade de tomar vitaminas ou alguma suplementação extra vale a máxima, em caso de dúvida ou para esclarecimentos precisos procure um profissional da área para ver se está tudo bem, aliás uma dica que vale para todos, veganos e não-veganos. No meu caso em particular comecei a suplementar a B12 após 2 anos de veganismo, visto que até então os exames não apontavam deficiência dessa vitamina.


5 – Comece com Refeições Simples

Um mundo inteiro de sobremesas veganas deliciosas, versões vegetais de queijos e carnes, surge quando a pessoa se abre para a culinária vegana. No entanto, evite se sobrecarregar ou passar horas lendo a lista de ingredientes enquanto compra os alimentos. O recomendado é começar com refeições fáceis que se pode fazer em casa. Uma vez que lidou com o básico, pode evoluir. Dê uma olhada na sua despensa. Está cheia de ingredientes à base de carne, leite, ovos e derivados? Se assim for, você não vai se divertir tentando cozinhar. Certifique-se de que sua despensa permaneça repleta de feijões, grãos integrais, folhas saudáveis ​​como couve, espinafre, frutas, cereais, molhos veganos, etc.

Geralmente para o café da manhã, uma boa sugestão é preparar um smoothie com frutas e leite de soja, de coco ou de amêndoas, uma torrada e geleia ou patê a base de tofu. Para o almoço e jantar é possível consumir uma salada grande e fresca. Os vegetais como brócolis, verduras , e batata doce devem ser freqüentes no prato. Não se esqueça, abuse das cores, tenha sempre um prato colorido,

Cozinhar refeições saudáveis como picadinhos de legumes, sopas a base de grãos integrais, arroz e quinoa etc. Certifique-se de incluir fontes proteicas de todos os tipos, como lentilhas, grãos, feijões, grão de bico, leguminosas… fontes ricas em proteína e fibra.

6 – Plano e Preparação de Refeição

Para evitar ficar sem alimento, seria bom preparar e cozinhar as refeições com uma certa “antecedência” – e armazená-las na geladeira. Isso não tem que ser complicado para começar. Escolher algumas receitas e adicionar ao cardápio, até se ajustar ao seu paladar e sentir-se confortável.

É possível cozinhar toda noite ou a cada 3 noites, se usar o freezer adequadamente. Começar com um almoço, um jantar e um café da manhã, e ir aumentando a base da receita a partir daí.
Escolher uma sopa, picadinho etc preparar um grande pote e comer em até 3 dias. Você não tem que picar e cozinhar o tempo todo. É bom preparar antecipadamente e congelar em tamanho de uma porção.

==>> Evite alimentos de conveniência e os chamados “junk foods”.

Ao fazer suas compras em um supermercado dê uma volta pela seção de produtos naturais e vegetais. Como vegano, minha dieta tornou-se muito mais diversificada e, como tal, é mais agradável. Aliás, ser vegano é a desculpa perfeita para carregar todo o tipo de vegetais que você nunca comeu regularmente antes. =]

Eu chamo de diversidade através de restrições. Antes, quando ainda era “carnista”, muitas vezes me achava recorrendo às opções mais fáceis: o bife ou o hambúrguer, que até então eram as mais interessantes, evitando as opções naturais de verduras, legumes e frutas. É importante não ceder também a tentação de consumir os chamados “junk foods veganos” – nada contra mas se a ideia é ter uma alimentação saudável e consistente recomenda-se evitar ao máximo tais produtos – vale lembrar que produtos industrializados veganos também podem ser um verdadeiro veneno para o nosso corpo.


7 – Se Sentir Fome, Aumente as Porções

Durante a transição para o veganismo, algumas pessoas percebem que estão com mais fome. Isso é devido aos alimentos de origem vegetal serem mais densos em nutrientes, mas inferiores em energia, as calorias. Se tiver fome, simplesmente aumente as porções de refeições. É possível consumir a quarta tigela de sopa de legumes, mais uma coxinha de jaca ou salada mix com folhas e frutas. É um consumo sem culpa.


8 – Junte-se a uma Comunidade e Explore o Universo Vegano

Seja por juntar-se a um grupo de Facebook vegano local, ou seguir bloggers veganos, a idéia de se aprofundar na comunidade vegan é uma maneira fácil de permanecer motivado e encontrar receitas saborosas. Siga perfis veganos no Instagram, Facebook, Twitter, etc. Isso te dará várias inspirações de receitas e te ajudará a permanecer motivado. Ah, vale ressaltar também que perguntar sempre aos locais que for jantar ou comer se eles possuem opções veganas no cardápio, prove na medida do possível os alimentos oferecidos nas lanchonetes locais veganas, restaurantes e lojas – incentivará o mercado a permanecer oferecendo tais opções.

Atualmente, com todas as alternativas de refeição à base vegetal, não há falta nem da textura da carne. Não existe sacrifício em satisfação quando se adota uma dieta à base vegetal se o fizer adequadamente.

Há um mundo de culinária internacional, é possível ter alimentos à base vegetal de estilo italiano, chinês, mexicano. Tudo que precisa fazer é uma pesquisa em receitas à base vegetal. Há também vários kits de iniciante vegano úteis e programas online para ajudar os novos veganos. A dica é se aventurar nesta atmosfera, aprender sobre os alimentos e estilo de vida interessantes e aproveitar!



9 – Mantenha-se firme e forte

Os primeiros dias podem ser difíceis, mas uma vez que você entra no balanço das coisas, torna-se mais fácil e fácil. Chegará um ponto em que carne, leite, ovos e seus derivados sequer passarão pela sua mente quando o assunto for “o que teremos para almoço?” ou sobre o que comer. Será algo natural e após um tempo de veganismo a simples ideia de consumir tais itens te causará uma certa estranheza e mesmo ojeriza.


10 – Tenha paciência, muita paciência!

Prepare-se para ouvir “mas de onde você tira suas proteínas?”, vão perguntar se você sente falta de queijo, e vão falar sempre na tal “ilha deserta” (na mente deles todo mundo que vira vegano acaba náufrago em uma ilha) que por não ter nada além de vacas o que você comeria. Tenha respostas rápidas prontas para eles. Minhas respostas são: o mesmo lugar em que os elefantes obtêm suas proteínas – das plantas. Não, porque eu ainda como queijo – é feito de castanha de caju e amêndoas. E, finalmente, eu comeria o que quer que as vacas estejam comendo.


11 – Não faça julgamentos

Não julgue os outros. Então você não concorda com a escolha de estilo de vida de outra pessoa. E daí? Você também não é perfeito. Será difícil e provavelmente você perderá muitas amizades ou mesmo sofrerá “bullying” de várias pessoas – e isso servirá apenas para mostrar quem de fato se importa contigo e compreende tua mudança de comportamento. Optar pelo certo nem sempre é fácil e geralmente a grande maioria das pessoas já estão muito presas e condicionadas ao sistema para aderirem ou assimilarem o real significado de ser vegano.

Ao invés de criticar e apontar erros, dê o exemplo! Sim, seu exemplo mesmo que você não note exercerá uma enorme influência na vida daqueles que estão à tua volta e mesmo em outros que talvez você nem venha a conhecer. A melhor maneira de ajudar as pessoas e conquistá-las é ensinar por ação, sem palestras. Traga um pouco de comida vegana ou trate-os para uma refeição vegana. Se você quiser fazer a mudança e manter seus amigos enquanto estiver nessa, você deve perceber que nem todos estão no mesmo lugar de sua vida, e nem todo mundo tem o mesmo sistema de valores que o seu.





Referências:

Vegan Tips for Beginners
Top 10 Tips For a First-Time Vegan
How to Become a Vegan: 12 Tips from the Experts
15 Tips for Vegan Beginners

Anterior Próxima

You Might Also Like